Prefeitura organiza e informatiza cadastro de usuários da Atenção Básica

Notícia publicada em: 10 de dezembro de 2020

A Prefeitura de Pindamonhangaba, por meio da Secretaria de Saúde, vem fazendo um trabalho de organização e informatização do cadastro da população que utiliza os serviços da Atenção Básica, ou seja, as unidades de saúde. Essa ação é importante para que a gestão do prefeito Isael Domingues tenha um detalhado conhecimento do público atendido e análise qualitativa e quantitativa do serviço oferecido, via SUS, e assim nortear as ações mais urgentes e necessárias para oferecer uma qualidade cada vez melhor dos serviços de saúde à população.
De acordo com informações da secretária de Saúde, Valéria Santos, essa ação teve início em 2019 com a entrada da Prefeitura de Pindamonhangaba no E-SUS, sistema do Ministério da Saúde para a atenção básica. Contudo, o serviço se tornou mais eficiente a partir deste ano, com o apoio do Departamento de TI (Tecnologia da Informação), que cedeu um funcionário para percorrer todas as unidades orientando a forma correta de fazer o cadastro – lembrando que o cadastro é extenso e se faltar qualquer informação, o sistema não reconhece e não considera o atendimento.
“A importância de estarmos corretamente cadastrados no E-SUS é que além de termos um cenário real da saúde de Pindamonhangaba, o que vai nortear nossas ações, nós garantimos um repasse do Ministério de Saúde cada vez mais condizente com as necessidades da atenção básica na cidade”, explicou a secretária de Saúde.
Atualmente, Pindamonhangaba conta com seis unidades básicas de saúde, 21 postos de ESF – Estratégia de Saúde da Família – e 1 EMAD – Equipe multiprofissional de atenção domiciliar – espalhados por todas as regiões do município, inclusive área rural. Dentre os cerca de 170 mil habitantes da cidade, atualmente são 80 mil pessoas cadastradas para atendimento na atenção básica. A estimativa, segundo a secretária, é que até o final de dezembro este número seja ultrapassado.
Organização e eficiência no atendimento
“Quando iniciamos o cadastro, tínhamos menos de 30 mil pessoas em nosso sistema”, explicou a diretora da Atenção Básica, Luciana Cruz. “Agora, alimentando corretamente o sistema, vimos que nossa realidade é bem diferente e isso vai refletir no repasse que o Ministério da Saúde vai nos enviar, para ser investido na própria atenção básica”, complementou. “Outro grande ganho com este sistema é que conseguimos fazer um prontuário eletrônico do paciente, que pode ser acessado pela equipe médica e de enfermagem, caso este paciente mude de unidade de atendimento. Com isso, teremos organização, agilidade e mais eficiência no atendimento dos munícipes”, destacou a diretora.
Tablets agilizam a ação


A aquisição, recentemente, de 200 tablets para agentes comunitários de saúde e agentes de controle de vetor vai complementar ainda mais este trabalho. “Os agentes comunitários de saúde poderão, a partir de agora, alimentar o sistema diretamente com os tablets, e o serviço vai render, visto que antes eles tinham que preencher os formulários à mão e aproveitar o segundo período do dia para passar tudo para o sistema. Agora, com os tablets, terão mais tempo para as visitas às residências”, explicou Luciana, lembrando que existem cadastro individual, territorial, dos serviços e atendimentos dentro das unidades, o que forma um quadro muito mais completo da saúde oferecida atualmente. Os tablets ainda estão sendo entregues, gradualmente, a esses profissionais.
Na última semana, a equipe da Secretaria de Saúde se reuniu com o prefeito Isael Domingues para apresentar o andamento da ação. O prefeito, que é médico, e tem um olhar especial para a área da Saúde, ficou satisfeito com os números e com a eficiência da iniciativa, gerando um verdadeiro “raio-x” da atenção básica na cidade. “Essa iniciativa é de grande importânci…