Índice de Faltas em Consultas e Exames Chega a 44% e Prejudica Saúde Pública em Pindamonhangaba

Notícia publicada em: 23 de maio de 2024

A Prefeitura de Pindamonhangaba, através da Secretaria da Saúde, alerta para o elevado índice de ausências em consultas e exames agendados pela rede pública. Esse absenteísmo prejudica o calendário de atendimentos e causa grande dano à população que aguarda a realização de exames, consultas médicas de rotina ou avaliações pré-cirúrgicas.

Dados de Faltas

Entre janeiro e abril de 2024, os índices de faltas sem comunicação prévia foram alarmantes:

  • 44% nas consultas para cirurgia otorrinolaringológica
  • 43% para cirurgia vascular
  • 39% para cirurgia ginecológica
  • 38% para cirurgia ortopédica
  • 32% para consultas oftalmológicas

Representantes da Secretaria de Habitação se Reúnem com Equipe do ITESP para Avançar Regularização Fundiária

Além das consultas pré-cirúrgicas, as faltas em consultas de rotina também são altas:

  • 36% em nefrologia
  • 36% em dermatologia
  • 35% em neurologia
  • 35% em cardiologia
  • 34% em pneumologia

A Secretária da Saúde, Silvia Mendes, destacou o impacto negativo das faltas não comunicadas: “As consultas e exames são agendados, dispomos o profissional, a equipe técnica de apoio e toda uma rede de serviços que acompanhariam esses procedimentos, e o paciente não aparece, não liga, não avisa. Essa ausência atrasa os atendimentos das pessoas que estão aguardando o seu dia para um procedimento agendado. Gera perda de tempo para os pacientes e para os profissionais de saúde, além de um gasto enorme para o sistema público de saúde.”

Das 24.692 consultas agendadas no período, 6.477 foram faltas, correspondendo a 26,23%.

Serviços Complementares e Exames

A desistência sem aviso também é alta em serviços complementares:

  • 40% em consultas com nutricionista
  • 38% em consultas com tisiologista
  • 30% em urologia
  • 30% em pneumo infantil

Nos exames, os maiores índices de faltas foram:

  • 44% em colonoscopia
  • 41% em espirometria
  • 37% em ultrassonografia

No total, dos 15.896 procedimentos agendados nos primeiros quatro meses, apenas 11.922 foram realizados, resultando em 25% de faltas. Em exames de maior valor, como ressonâncias magnéticas e tomografias computadorizadas, a taxa de faltas chegou a 34%.

O que Fazer em Caso de Desistência

A Secretaria de Saúde entende que imprevistos acontecem, mas é crucial comunicar qualquer desistência. Basta informar à unidade de saúde para que o nome do paciente seja retirado da lista, permitindo que a vaga seja ocupada por outra pessoa que precisa.

Ilhabela Anuncia Abertura da Temporada de Observação de Baleias e Golfinhos