Entenda como funciona o 190 da Polícia Militar de SP

Notícia publicada em: 3 de junho de 2024

O Centro de Operações da Polícia Militar (Copom) do Estado de São Paulo recebe cerca de 50 mil ligações por dia por meio do 190, ferramenta utilizada para casos de emergência e pedidos de ajuda.

O atendimento funciona 24 horas e cobre todo o território paulista. Ao receber a ligação, o atendente identifica o tipo de problema e, conforme as necessidades da vítima, pode encaminhá-la para um setor especializado da central.

Sancionada lei que regula pesquisa com seres humanos

Em casos que envolvem violência doméstica, por exemplo, a vítima pode ser direcionada para uma policial da Cabine Lilás – programa inaugurado em março, focado em atender de forma mais técnica e humanizada as mulheres vítimas de agressão.

Leia também: Cabine Lilás: 8 homens são presos por descumprir medidas protetivas durante primeiro mês de projeto

Para solicitações feitas por estrangeiros que falam inglês ou espanhol, a ligação é transferida para um intérprete de línguas do Copom.

O canal também atende serviços do Corpo de Bombeiros (193) e do Disque Denúncia (181). “O 190 é a verdadeira conexão do cidadão paulista com a Polícia Militar em casos emergenciais”, enfatiza o comandante do Copom, coronel Carlos Lucena.

Despacho de viaturas

Toda situação que envolve quebra de ordem pública ou risco iminente à vida ou patrimônio, aciona viaturas que se deslocam até o local da ocorrência.

Logo no início dessas ligações, é gerado automaticamente um talão de “pré-ocorrência”, que é encaminhado ao batalhão mais próximo do endereço fornecido pela vítima. Lá, imediatamente, uma viatura é despachada ao local dos fatos.

“Depois que a pré-ocorrência é gerada, o atendente permanece no telefone com a vítima para coletar informações complementares que possam ajudar a equipe na viatura que já está a caminho do local”, explica Lucena.

“Trabalhamos para que o atendimento seja realizado no menor tempo possível. Isso salva vidas”, diz. Durante a ligação, a vítima não é obrigada a se identificar, garantindo o anonimato.

Produtividade

Em 2023, os casos de perturbação de sossego foram os mais atendidos pelo Copom, com mais de 1,3 milhão de ligações.

Em seguida, vieram as ocorrências de discussões em geral (908 mil casos), averiguação de atitude suspeita (745 mil), violência doméstica (374,4 mil), furto (256,9 mil) e acidentes de trânsito com vítima (194,1 mil).

Prefeito de Santo Antônio do Pinhal demonstra integridade após incidente envolvendo seu irmão